The Last Theft: uma curta-metragem de terror

0

Jiří Barta é um realizador da República Checa, conhecido sobretudo pelas suas animações feitas através da técnica de stop motion. Em Poslední lup (The Last Theft em inglês) toma um rumo diferente e utiliza pessoas reais em vez de bonecos. Nesta filme, constrói uma história maravilhosamente surreal, algo nascido de um pesadelo gótico, que entra no reino do terror.

Esta curta-metragem mostra-nos um ladrão a entrar num cemitério e numa sepultura, na tentativa de encontrar algo, mas inesperadamente acaba por ficar por lá mais do que esperava. O filme é assustador, tal como um pesadelo em que nada realmente acontece, mas que ameaça constantemente, deixando os nossos corpos com uma sensação de desconforto e sem paz de espírito.

Neste filme de 1987, Barta utiliza tons sombrios para criar uma atmosfera sinistra de pavor, aumentando frequentemente para cores com mais brilho, sempre quer chamar a nossa atenção para determinados pormenores de uma cena.  Embora seja filmado com atores reais, Barta manipulou as imagens de The Last Theft na pós-produção, jogando com a velocidade e a pintura de cor nos personagens e adereços. O produto final é parecido com fotografias antigas que ganham vida. Embora existam algumas manipulações na imagem, a atmosfera macabra de The Last Theft é preservada. Por fim, ele também utiliza os sons para capturar o equivalente à insanidade cinematográfica. Uma porção de peças de música clássica, risos e ruídos enervantes parecem-nos levar para um jogo demente.

The Last Theft é uma explosão sensorial que nos transporta para o terror.

Projeto uma curta por dia.

Share.

Leave A Reply